quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Golpe no Sinpro Campos/ São João da Barra

Está em curso um golpe para impedir minha posse na presidência do Sindicato dos Professores, bem como de toda a diretoria eleita nos dias 10 e 11 de dezembro.
Na tarde de segunda-feira (04/01), às 15:00, data e horário marcados pela própria Comissão eleitoral responsável pelo pleito para dar posse à nova diretoria do sindicato - conforme disposto pelo artigo 51 do Estatuto da entidade - a mesma não se fez presente. Apenas a Presidente da Comissão, Dra. Beatriz Bogado compareceu ao portão do Sindicato - cuja sede permaneceu fechada por todo o dia - onde nós, diretores eleitos, aguardávamos acompanhados de diretores da FETEERJ (Federação dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino no RJ), da CONTEE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino) e de outros Sinpros do Estado, para justificar a situação, motivada por alegação golpista da direção cujo mandato se expirou no último dia 31/12/2009, que, segundo ela, por alguma razão injustificada se auto-intitulou "junta administrativa provisória" e estaria convocando uma Assembléia para o mês de março com pauta que pra mim não é clara.
Na opinião de nossa chapa, na medida em que não é de nosso conhecimento qualquer contestação ao resultado das urnas proclamado pela Comissão Eleitoral, trata-se de ação golpista com vistas a postergar nossa posse por alguma razão obscura.
Após permanecermos por toda a tarde de segunda em frente à sede fechada do sindicato, mantive um último contato com a Dra. Beatriz por volta das 18:00. Após entendimento com nossa assessoria jurídica ela manifestou disposição de nos dar posse, mas ponderou que não gostaria de fazê-lo sem a anuência do conjunto da Comissão, acrescentando que tentava em vão até aquele momento contato com os demais membros da mesma. Propôs me retornar no dia seguinte (ontem, 05/01) para agendar o ato de posse, porém não estabeleceu qualquer contato até o presente momento.
Temos em mãos um documento lavrado no dia 04 por sete diretores da FETEERJ presentes à Campos para nossa posse, reconhecendo a legitimidade de nossa eleição e nossa condição de diretoria de fato da entidade sindical dos professores locais desde a data prevista para posse na Ata de apuração das eleições vencidas por nós.
Continuamos aguardando uma posição da Comissão Eleitoral, mas vamos à Justiça garantir o mais breve possível o efetivo exercício do mandato que nos foi conferido democraticamente pela maioria da categoria.

16 comentários:

PALAVRAS ACESAS disse...

Camarada Fábio Siqueira
Você conhece bem o que penso a respeito de atitudes golpistas. Fico indignada ao tomar conhecimento da tentativa de golpe por parte de pessoas,as quais não conheço, que ultrapassam os limites do limite da disputa política e não hesitam em trilhar o caminho da deslealdade e falta de compostura, a fim de burlar o processo democrático ocorrido recentemente no SINPRO, no qual o colega merecidamente saiu vitorioso.
Coragem!
Saudações fraternas
Graciete Santana

Ana Paula Motta disse...

Que papelão! Não há coisa pior que quem perde um pleito legítimo querer levar a disputa para o campo golpista, ou como se diz na gíria esportiva para o tapetão...

Jane Nunes disse...

Abaixo todo e qualquer golpe e ou golpista!Mas sei que vc é bravo! Lute!
abs

Gustavo Carvalho disse...

A canalhice não tem fim! Então quer dizer que o estilo mafioso de "gerenciar" o sindicato também se extende para além do mandato legal? Tá na hora de denunciar a reputação e os métodos da antiga direção!
Força

Renato disse...

Estaremos juntos em mais esta batalha.O que tenho a acrescentar é que não se ouviu uma palavra da força política que dirigia o sindicato e que ao que tudo indica coaduna com tais atitudes pós eleição e que portanto deve ser denunciada,pois se tenta dar golpe no SIMPRO imagina em pretenções maiores!
Renato Gonçalves.

Gustavo G. Lopes disse...

Salve Professor Fábio,

Os Golpismos desesperados escancaram o desrespeito ao estado de direito. Forjam acusações, inventam subtefúrgios para ganhar tempo para sumirem com os arquivos, para acertarem as gorjetas e esvaziarem a dispensa.

É a Razia Maldita, a Partilha do Mal!

Por isso, torço para que a Nova Direção do SINPRO assegure o direito dos sindicalizados através da Justiça.

Enquanto isso mantenha os seus observadores na Carlos de Lacerda, nos Cartórios e mobilizem o magistrado de plantão. Depois da auditoria, chegará a vez da polícia.

Écrasez l'Infâme!!

argus disse...

O tipo penal para a conduta é: exercício arbitrário das próprias razões.

Na esfera cível: ação de obrigação de FAZER, ou seja, instar a extemporânea direção a dar posse aos recém-eleitos, em sede de liminar, com estipulação de multa/dia pelo descumprimento.

Um abraço.

Jhonathan Abrão disse...

É uma vergonha, estamos vivendo em uma sociedade não democrática, precisamos nos mobilizar quanto a esta situação golpista da ex-diretoria do SINPRO que não quer deixar o sindicato, pois lá não fizeram nada no seu mandato e sim injustiças em relação aos professores que tanto precisam de ajudas, nós quanto nova diretoria vamos tomar todas as providências cabíveis para de direito tomar a nossa posse e mostrarmos para que viemos. Conte com a gente, e também precisamos do apoio de todos.

Anônimo disse...

Caro Fábio,
Apesar de não te conhecer pessoalmente, gosto muito de seu blog e de suas opiniões, por isso, passo por aqui para te dar uma força quanto a palhaçada que estão tentando fazer com as eleições do sindicato. Lute até o fim pelo seu direito e pelo direito de toda a sua categoria.
Abs,
Paulo Sérgio

Anônimo disse...

Vamos todos com força aderir ao movimento "Volta Xacal".

Cláudio Andrade disse...

Caro Fábio..

Gostaria de prestar a minha solidariedade. Uma eleição legítima deve ser reconhecida pelo adversário e a transição feita de forma madura, afinal os interesses da classe devem estar acima dos pessoais.

Cláudio Andrade

a hiena disse...

É o movimento sindical de Campos fazendo história. Quando não se consegue dissolver algumas dinastias sindicais como bancários, Cedae, trabalhadores rurais, construção civil, químicos, motoristas, outros usam o golpe como ferramenta para se perpetuar no poder. Aí poderemos citar os eletricitários(Marcos Bacelar), servidores municipais (Leilson Rangel) e agora Fábio, mais que aprendeu o caminho.... e pelo visto, meu irmão, se eles tiverem força de "convencimento", pode entregar as chaves... que essa você não leva.

Erik Schunk disse...

Caro Fábio, essa situação é absurda! Como é possível nos dias de hoje ainda ocorrer um fato desses? Perderam as eleições agora estão desesperados?
Conte comigo para lutarmos pela garantia da posse de sua chapa e ao entrar na Presidência estabeleça uma auditoria, em todas as contas da entidade, porque com certeza eles devem ter muito a esconder para atuar com tamanho desrespeito!

Flávio Mussa Tavares disse...

Caro Fábio,
receba a minha pobre, mas sincera, solidariedade. Minha única sugestão é que mantenha a serenidade e a certeza de que o clamor pela justiça é legítimo. Esperar também é saber!
Abraço

Anônimo disse...

Professor, soube da guerra que houve em Farol no show de Rodriguinho?

Que desorganização!
Falta de segurança, de estrutura. Um horror!

E mais...

O que não dá pra acreditar é que a Senhora Prefeita Rosinha Garotinho tenha gastado R$ 300 mil de aluguel de quatro carros blindados para chegar até o local dos tiros. Deve ser muito bom assistir a um filme de Farol – Weste de “camarote” blindado.
Que vidão!

Vai ser egoísta assim lá na...

FÁBIO SIQUEIRA disse...

Agradeço a todas as manifestações de solidariedade!

Caro(a) hiena,

A diferença do caso do SINPRO para os outros golpistas citados por vc é que agora os que querem se perpetuar no poder nem mesmo questionam a lisura do pleito. Pelo contrário, elogiam a Comissão eleitoral pela condução do processo.
Não havendo nem mesmo alegação de fraude ou irregularidade - independente da veracidade disso - como nos casos por vc mencionados, não há NADA que impeça a consequência natural da eleição legítima: a posse!

Abs.