terça-feira, 8 de dezembro de 2009

O verbo e a verba

O blog do filho do dono trombeteia e quase comemora a vitória de Luiz Sérgio para a Presidência Estadual do PT.
E, já no título, não faz a menor cerimônia em manifestar as razões para tal euforia: um iminente apoio do PT-RJ ao inepto e incompetente governador - o que revela o quão pueril, ainda que legítima, foi a postura dos companheiros que apoiaram no segundo turno o Deputado Federal com a ressalva de manter a defesa da candidatura própria. Na prática, a vitória de Luiz Sérgio realmente aponta tendência em outro sentido, ainda que o jogo ainda esteja no pano e convenções e Encontros petistas sigam uma lógica distinta da dos PEDs. Há ainda o esqueleto da abortada candidatura de Vladimir no armário!
O curioso é o grande e súbito interesse manifestado pelo periódico em questões internas do Partido dos Trabalhadores. Talvez tenha a ver com a farta e, literalmente, visível publicidade estampada pelo governo do RJ em suas páginas nos últimos meses, coisa de anúncio de meia página com periodicidade regular!
Parece que um edil local tinha mesmo razão quando dizia que em certas páginas da imprensa local, mesmo nas virtuais, o "verbo vale a verba".

8 comentários:

Gustavo Carvalho disse...

A julgar pelas declarações de Cabral no domingo afirmando que "só posso torcer pelo L. Sérgio", o caráter pueril (e ambivalente) da posição de apoio ao deputado e ao mesmo tempo que a faz a defesa retórica da "tese" da candidatura própria. Quem não entende das coisas do PT confunde as instâncias de deliberação. A convenção partidária que delibera sobre candidaturas não procede na mesma lógica dos "filiantes" que o PED se transformou. Aliás o PED vai se tornando mais um problema do que uma solução democrática para os conflitos internos do PT. Ou o partido se renova ou entre em crise de vez!

Anônimo disse...

Li o artigo na fm, e realmente a vereadora está bastante comprometida com o grupo. O filhotinho metendo o bedelho onde não deve, criticando o que não conhece... Vãs esperanças para o PT (que ainda escrevo com maiúsculas )!
Muito estranho, defender candidatura própria e votar em quem defende aliança...
Abraços.

Anônimo disse...

Sem verba acaba o papel o e os blogs e vão gastar o dinheiro arrecadado com Arnaldo e Mocaiber e ainda tentando-se dizer honestos e defensor da moralidade... com % em cinemas e casas de alimentação...

Anônimo disse...

Meus caros, "não é muito estranho votar em L. Sérgio e defender candidatura própria"! Na verdade é FALÁCIA, MENTIRA, ENGODO! É claro que os interesses financeiros sublimaram o viés ideológico. O que é peciso é saber como (ou quanto) foram os "argumentos" de tamanha modificação do "prisma de entendimento", que deixaram "a pé" a candidatura do "Casula" pela do "Cabral". A história partidária contará!

adwalto disse...

Confunde as pessoas que acham que o Deputado Luiz Sergio (ex-dirigente sindical, ex-vice prefeito, deputado federal de 3 mandatos) não tem luz própria. Ele tem luz propria, tem historia, tem visão, tem capacidade de dialogo, tem compromisso partidario e vai construir um projeto para o PT-RJ que ficara na historia de sua administração; não desmerecendo o companheiro Lorival Casula, mas temos certeza que o votamos com a convicção necessária e sem este aliciamento propagado. Bastam lerem o jornal de hoje e verem a tonica da conduta do parlamentar.

adwalto disse...

O companheiro Deputado Luiz com certeza surpreendera quem antes tinha duvidava da forma que iria administrar o Partido dos Trabalhadores, é um companheiro que tem historia política, tem experiencia administrativa, tem cuidado com a coisa publica e sempre defendeu a legenda com unhas e dentes, as vezes na presença de militantes, debatendo com filhotes de coroneizinhos. EU CREIO, EU ACREDITO QUE TEREMOS NO RIO DE JANEIRO UM PARTIDO DE TODOS> E TODAS> FORMANDO> QUALIFICANDO> E CRESCENDO>.

Gustavo Carvalho disse...

Apesar de levar em consideração os comentários sobre a futura administração do L. Sérgio, a quem se deve sem dúvida dar crédito, acredito que a polêmica levantada aqui não se refira as virtudes ou defeitos pessoais do deputado. No limite, o que está em jogo é a vitalidade coletiva do PT e seu papel como instrumento estratégico de mudança social. Perguntinha que não quer calar: os grupos petistas vitoriosos no último PED, integrantes das gestões estadual e municipal do PMDB e proponentes da re-eleição do Cabral, desenvolveram quais políticas públicas inspiradas no "modo petista de governar"??? Incrustados nessas respectivas estruturas de poder e prisioneiros do mesmo modus operandi dos partidos tradicionais, não tem nada a dizer para a sociedade! Fora o dogma da infalibilidade do lulismo não possuem nenhum projeto para o estado do Rio!

Anônimo disse...

Fábio,
Não achei legal a sua conduta de criticar os companheiros que optaram pelo nome de Luis Sérgio, isso só faz crescer a desunião no partido. Não necessariamente estamos de acordo com a aliança com Sérgio Cabral, inclusive, acredito, apesar de saber que ele tem esta tendência (mas apenas por achar que é o melhor para Dilma)que isso foi usado e explorado contra o Luis Sérgio apenas para lhe tirar votos no PED.
Fábio, o PT precisa de união!
Abs,