quinta-feira, 21 de maio de 2009

A REFORMA MALDITA

A Reforma Política é um tema de alta relevância para o aperfeiçoamento de nossa democracia. Pois, o que está em jogo é justamente o poder dos representados sobre os representantes! Contudo, os próprios políticos a tratam de um modo imediatista e irresponsável. Ora, numa democracia as propostas devem ser debatidas democraticamente, o que torna o dissenso algo saudável. Entretanto, essa mistura letal de oportunismo eleitoral e a inconsistência ideológica que condiciona as atitudes dos parlamentares e partidos no congresso interdita o debate qualificado dos diferentes projetos de reforma que tramitam no congresso. Agora, mais uma vez, assistimos ao velho ritual do eterno retorno da Fênix mórbida: o arremedo de projeto de reforma em voga, que previa o estabelecimento da da votação em lista e o financiamanto público das campanhas (alterações profundamente controvertidas!), acaba de ser abortado. As lideranças partidárias do parlamento (tanto da base aliada do governo quanto da oposição), devem se contentar com remendos na lei eleitoral visando um dupla antecipação: o acesso ao fundo partidário e o início das campanhas eleitorais. Mais um vez, os profissionais da política, na sua obsessão meramente eleitoral e falta de compromisso coletivo, perdem a oportunidade de envolver a sociedade brasileira num debate Político crucial para o país.

Um comentário:

Prof. Kauê Martins disse...

Ofereço ao presente blog o Prêmio Blog Dorado.
Para pegar a logo da rede e postar nesse blog, no meu é fácil encontrar as regras e a logo. Parabéns e Felicidades,
Prof. Kauê Martins.