quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Dia do Professor

É, apesar de o próprio SINPRO, o sindicato da categoria que representa os professores da rede privada em Campos, ter pelegado e "vendido" nosso feriado no acordo coletivo, transferindo-o para um inexpressivo dia 13, este blog não poderia deixar a data passar em branco.
Assim, reproduzo aqui trecho poético de Alvaro de Campos - que adoro!!! - enviado por e-mail pela querida Aucilene, felicitando-nos na oportunidade:

Mestre, meu mestre querido
Meu mestre e meu guia!
A quem nenhuma coisa feriu, nem doeu, nem perturbou,
Seguro como um sol fazendo o seu dia involuntariamente,
Natural como um dia mostrando tudo,
Meu mestre, meu coração não aprendeu a tua serenidade.
Meu coração não aprendeu nada.
Meu coração não é nada,
Meu coração está perdido.
Mestre, só seria como tu se tivesse sido tu.
Depois, mas por que é que ensinaste a clareza da vista,
Se não me podias ensinar a ter a alma com que a ver clara?
Por que é que me chamaste para o alto dos montes
Se eu, criança das cidades do vale, não sabia respirar?

(Excerto do poema de Álvaro de Campos)

7 comentários:

VCabral disse...

Fábio, que bom você ter resgatado esse texto aqui. Só poesia para nos acalentar a alma aqui na planície. Parafraseando o mestre em questão, diria "Minha cidade está perdida". Parabéns pelo nosso dia!

Anônimo disse...

Tenho orgulho em declarar que sou professora regente de classe há 25 anos. Sempre fiz o meu trabalho com muito prazer. Não vinculo a nenhuma ação política. Infelizmente o sistema educacional do Brasil ainda agrega efeitos políticos administrativos. Vejo uma luz na escuridão: o MEC está mais atuante nos estados e municípios, cuidando para enquadrar todas as secretarias de educação, nos parâmetros do MEC. Fui aluna de uma escola pública bem melhor. Mas, a educação não é prioridade para muitos governantes. Precisamos pagar para trabalhar. Tenho colegas que ainda não recebem triênios e outras vantagens, mesmo pequenas, que estão com o salário de R$486,00. Colheita dos 8 anos em que o estado do Rio ficou em péssimas mãos. Quando, uma equipe de professores marcaram para falar com a ex governadora, ouviram : "vão vender AVON, para complementar o salário.". Não nos tiraram somente salário, falta professores, tirou os TIs, tirou os Coordenad. de área, acabou com o projeto Teatro na Escola, aqui em Campos tínhamos no Colégio Estadual João Pessoa, um grupo de teatro, maravilhoso, tiraram daqueles alunos, o prazer pela arte. É muito difícil! Hoje, temos mais de 30% dos professores (ativos) de licença médica, porque a ex governadora criou uma lei que atestado para abonar até 3 dias no mês, só pode ser de médico de setor público. Então, quem tem um plano de saúde, ou vai ao dentista, apanha um atestado de 15, 20 ou mais dias. Há lei que permite isso? Os médicos dizem: " o atestado é válido por si". Uma simples consulta, gera uma licença. E os alunos? Ficam no pátio da escola ou em casa.
Parabéns para todos os colegas que vivem essa crise educacional e ainda trabalham com dignidade!

Anônimo disse...

E o goitinha, nada?

Imbeloni disse...

Sei que o espaço não é para isso, mas desculpe-me Fábio.

É Garotinho, pena que a gente não vê isso acontecer em nossa cidade. Mas, tenhamos esperança.

15/10/08 - 10h24 - Atualizado em 15/10/08 - 10h30


Acusado de fraude, irmão de PC Farias é preso em AL

Da Agência Estado

A Polícia Federal de Alagoas deflagrou hoje pela manhã a "Operação Voto Nulo" e prendeu o prefeito Rogério Farias (PPS), do município de Porto de Pedras, a 100 quilômetros de Maceió. Ele foi reeleito nas eleições de 5 de outubro, mas é acusado de fraude eleitoral e deve ter o mandato cassado. A operação teve como alvo o reduto eleitoral de Rogério, irmão de PC Farias, ex-tesoureiro da campanha presidencial de Fernando Collor (PTB).



A prisão do prefeito foi confirmada pela PF. Segundo o superintendente substituto da Polícia Federal em Alagoas, delegado Nilton Ribeiro, o prefeito deve ficar preso na carceragem da PF. Ribeiro informou que as ordens de prisão foram expedidas pela Justiça Eleitoral, depois de comprovado o alistamento fraudulento de eleitores em Porto de Pedras e Barra de Santo Antônio, onde a mulher de Rogério, Rume Farias (PPS), é prefeita e foi candidata à reeleição nas eleições de 5 de outubro.

Diogo Ernesto disse...

Pois é, Imbeloni!
Se acontecesse isso em nosso Estado o casal da Lapa já estaria atrás das grades desde aquele "estouro" de R$300 mil nas eleições passadas...
Pobre Campos!

Imbeloni disse...

É verdade Diogo! E o Arnaldo popozão e Mocaiber já teriam sido extraditados, pelo sumiço de BILHÕES de reais.

Anônimo disse...

Como professor estadual há 14 anos,militante das causas da categoria; agora, recentemente convocado pelo concurso municipal, desejo que, caso a candidata do Garotinho vença, não mande a Guarda Municipal nos BATER, fato que sofremos na esfera estadual. Há pessoas de vários tipos, porém a mais desprezível é aquela que se vende.